Programação

Enzima é capaz de revolucionar o processo de reciclagem e eliminar milhões de toneladas de plásticos que poluem o planeta e matam animais.

Uma equipe internacional de cientistas desenvolveu uma enzima capaz de revolucionar o processo de reciclagem, e eliminar milhões de toneladas de plásticos que poluem o planeta e matam animais. Volta e meia, baleias e pássaros comem plástico por engano. Ao contrário da nova enzima, os animais não conseguem digerir o material e morrem. A bactéria que se alimenta de plástico foi encontrada sem querer há dois anos num centro de reciclagem do Japão. A Ideonella sakaiensis produz uma enzima que dissolve o PET usado na fabricação de garrafas e, por isso, recebeu o nome de PETase. Os cientistas estudaram essa enzima com um raio-X de brilho bilhões de vezes mais forte que o Sol e descobriram que podiam modificar essa substância e aumentar a eficiência dela. A PETase mutante devora o plástico - a enzima faz em dias o que na natureza decompõe em séculos. Mas o PET não desaparece: ele é quebrado em partes menores e isso pode fazer com que o reaproveitamento do plástico seja mais eficiente. A cada minuto, um milhão de garrafas são vendidas em todo o mundo e nem 15% são recicladas. O material perde qualidade durante o processamento. A PETase reduziria os plásticos aos componentes principais, prontos para serem usados outra vez. O brasileiro Munir Skaf, da Unicamp, participou da pesquisa: “A contribuição do trabalho nosso foi na compreensão do funcionamento dessa enzima e na engenharia na melhoria dessa enzima para torná-la mais eficiente”. Os cientistas acreditam que podem melhorar ainda mais a PETase, para que possa, no futuro, ser desenvolvida em grande escala. A ideia é que o apetite da enzima por plástico aumente - mas também que o nosso diminua..

Enzima é capaz de revolucionar o processo de reciclagem e eliminar milhões de toneladas de plásticos que poluem o planeta e matam animais.

Uma equipe internacional de cientistas desenvolveu uma enzima capaz de revolucionar o processo de reciclagem, e eliminar milhões de toneladas de plásticos que poluem o planeta e matam animais. Volta e meia, baleias e pássaros comem plástico por engano. Ao contrário da nova enzima, os animais não conseguem digerir o material e morrem. A bactéria que se alimenta de plástico foi encontrada sem querer há dois anos num centro de reciclagem do Japão. A Ideonella sakaiensis produz uma enzima que dissolve o PET usado na fabricação de garrafas e, por isso, recebeu o nome de PETase. Os cientistas estudaram essa enzima com um raio-X de brilho bilhões de vezes mais forte que o Sol e descobriram que podiam modificar essa substância e aumentar a eficiência dela. A PETase mutante devora o plástico - a enzima faz em dias o que na natureza decompõe em séculos. Mas o PET não desaparece: ele é quebrado em partes menores e isso pode fazer com que o reaproveitamento do plástico seja mais eficiente. A cada minuto, um milhão de garrafas são vendidas em todo o mundo e nem 15% são recicladas. O material perde qualidade durante o processamento. A PETase reduziria os plásticos aos componentes principais, prontos para serem usados outra vez. O brasileiro Munir Skaf, da Unicamp, participou da pesquisa: “A contribuição do trabalho nosso foi na compreensão do funcionamento dessa enzima e na engenharia na melhoria dessa enzima para torná-la mais eficiente”. ..

Consultor e amigo do presidente Michel Temer, o cientista político Gaudêncio Torquato não acredita que Programa ouvindo a voz de Deus 19:00h a candidatura à reeleição do emedebista vá até o fim. "Não acredito que Michel e Rodrigo Maia serão candidatos. O centro e a direita terão que se integrar na campanha, e o candidato mais forte hoje desse campo é o Geraldo Alckmin", disse Torquato ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. De acordo com o consultor, que integra o seleto time de conselheiros de Temer, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que filiou-se ao PSB, surge como um nome "muito forte" na disputa.

Consultor e amigo do presidente Michel Temer, o cientista político Gaudêncio Torquato não acredita que a candidatura à reeleição do emedebista vá até o fim. "Não acredito que Michel e Rodrigo Maia serão candidatos. O centro e a direita terão que se integrar na campanha, e o candidato mais forte hoje desse campo é o Geraldo Alckmin", disse Torquato ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. De acordo com o consultor, que integra o seleto time de conselheiros de Temer, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que filiou-se ao PSB, surge como um nome "muito forte" na disputa
Programa Ouvindo a voz de Deus Palavra de Esperança
Scroll Up